De tudo fica um pouco Entrevista

Hi People! !!

Hoje venho apresentar esta novidade do Blog que pretendo explorar, irei realizar entrevistas algumas vezes e os entrevistados serão pessoas comuns (apesar que, para mim ninguém é comum) que pode ser você, só precisa me convencer...hehe!!
E dando início entrevistei uma pessoa muita querida, que sou fã do trabalho e da dedicação dela.
Vou apresenta-la:

Ana Paula N. Cavallari
Natural de Três Lagoas-MS
Casada há 22 anos
Mãe de três meninos
Sou artesã há mais ou menos 10 anos, uso de tudo um pouco, gosto de misturar, Biscuit com pinturas decorativas, tecido, tintas e fitas. Vivo recomeçando, que nem me lembro mais quando comecei, mas somando deve dar uns 10 anos, parei por um tempo a cada nascimento dos meninos, mudança de cidade  mas volto correndo sempre.


Então bora para as perguntas:
1) Como o artesanato começou a fazer parte da sua vida?
Tenho pensado muito sobre isso nestes últimos tempos, lembro que minha primeira arte foi pintar caramujos quando criança. Mas começou mesmo quando tive o primeiro filho e resolvi que não iria mais trabalhar fora, queria ficar com eles todo tempo, como sou muito agitada, fui vendo revistas e fazendo as artes .
2) Conte-nos um pouco sobre seu trabalho.
Hoje sou artesã assumida, vendo em feiras, algo que amo, porque artesanato é um trabalho solitário, e assim posso estar no meio do povo, vendo gente, fazendo  amizades com outros feirantes e clientes. Não sou dessas que tem rotina rígida, na verdade acabo deixando para última hora, as encomendas e as produções para feiras, também largo tudo para estar em família, sei bem quanto tempo levo para produzir e assim tudo se ajeita e fico feliz e faço os clientes feliz .
3) De onde vem sua inspiração para as peças?
Já criei meu estilo o que facilita muito, busco imagens reais e de algumas artesãs que admiro, gosto de trabalhos fofos, meu slogan é "Aninha Cavallari deixando o mundo cheio de fofura", parto dessa ideia, fazer fofuras.Se estou sem inspiração o que acontece muito, crio uma peça para presente ou para minha casa, criar pensando na pessoa ou para deixar seu lar um cantinho fofo é bem fácil. Sempre crio pensando que vai ficar lindo, que é fácil fazer, mesmo que tenha que modelar 400 bracinhos, 100 cabecinhas, mil flores. Lembrancinhas em quantidade são números, gosto de somar tudo (uma maluquice da minha cabeça).
4) Como você organiza seu horário de trabalho?
Acordo, ajeito a casa, acordo meus filhos, alimento -os, coloco eles para fazer as lições da escola,  e acabam me ajudando  também nas tarefas da casa,  vou para o atelie, começo as 9:00 h e fico até as 11:20 h, mas tem paradas para trocar uma fralda, ver se a lição está certa. Então vou para a cozinha preparo almoço, no máximo 12:10 h tem que estar com almoço na mesa porque a van vem buscá-lo. Depois que um deles já foi o outro que estuda na  parte da manhã lava a louça, o que é uma ajudona, organizo a cozinha, só volto ao trabalho 14:15 h, uso esse tempo para dar uma olhada na internet, postar trabalhos, responder e-mail, volto e paro as 17:30 h. Quando todos estão em casa tem o banho, o lanche. Se tenho prazo de entrega volto ao trabalho se não vou curtir a família.
5) Qual o meio de divulgação que te dá mais resultado?
Redes sociais é bem legal, os clientes já veem na hora .
6) Nos dias atuais é possível pagar as contas com o artesanato?
Sim, você fidelizando clientes e fazendo um trabalho com ótimo acabamento, sempre terá clientes.
Tenho clientes para quem fiz as  lembrancinhas de chá de panela, casamento, chá de bebê, nascimento, batizado, enfeites quarto, e dos aniversários, também presentes para amigos e parentes, quando você acha clientes que valorizam o artesanato fica fácil, também ofereço valores que sejam bons para mim e clientes. Claro que isso não é da noite para o dia, tem que ter dedicação, responsabilidade, amor por tudo que faz, acreditar em você e no seu trabalho .
7) O que mudou da época em que você começou para hoje?
Há muito mais materiais e ferramentas, também mais concorrência leal e desleal, mais pessoas gostando de artesanato e redes sociais o que ajuda muito .
8) Você tem alguma dica para as arteiras que estão iniciando?
Evoluir sempre, fazer cursos, se aperfeiçoar, amar o que faz, se apaixonar por suas peças, ser honesta, pedir ajuda, não ter medo dos desafios, eu amo desafio, me faz crescer, criar algo que nunca fiz me impulsiona, estudo a peça, busco inspiração, faço, se não gosto, faço novamente até ficar como sempre digo "padrão Aninha Cavallari", essa é outra dica: criar um padrão, não dá para fazer algo lindo e depois algo mais ou menos. Criar seu estilo próprio, que quando alguém olhar vai dizer "foi a Aninha Cavallari quem fez" .
9) O que te motiva a continuar ?
Amo o que faço, foi o que escolhi ou o que me escolheu ainda não descobri, ter meu próprio dinheiro, poder fazer coisas para os filhos, cuidar de mim, realizar meus sonhos e desejos .
10) Quais os projetos para este ano de 2016?
Continuar com as feiras, vender mais na loja virtual, que com a gravidez e os primeiros meses e anos do Pedro, acabei deixando ela parada, agora está na hora de voltar com tudo, criar um mostruário novo e vender muito.
11) Você prefere encomendas em grandes quantidades ( lembrancinha, várias peças iguais), ou peças únicas?
Gosto dos dois, tenho esse problema, não fazer uma coisa só, mas como misturo tudo acaba dando certo para mim, vejo muitas pessoas que se dedica a uma única coisa e da super certo, mas preciso aprender sempre, misturar e fazer feira me ajuda, lá posso criar peças únicas e vendê-las sem compromisso e junto vem as encomendas, essas acabam dando mais dinheiro, confesso não vou apegada a dinheiro, ele é bom, mas poder criar sem compromisso é muito bom para minha alma, digo que ela é livre.
12) Qual horário você produz mais, manhã, tarde ou noite?
Como criei uma rotina, amanhã e tarde, noite só quando me atrapalho nos prazos ou vou produzir para uma data específica como dia das mães e natal .
13) De todas as peças feitas tem alguma predileta?
Não, sempre me apaixono por todas, apesar de achar que não está legal, ir dormir acordar e achar linda. Sou um pouco crítica e se algo me incomoda, refaço sem preguiça ou jogo fora sem dó, é o que falei de manter um padrão .
Bem para encerrar,  sabemos que De tudo fica um pouco, então nos conte o que fica nos trabalhos feitos pelas mãos de Aninha?
Muito amor, amo cada peça, fico acariciando, converso com elas, são meus filhotes, chamo de "bebe da mamãe, fofuras".Todo artesanato feito com amor vai um pouco da pessoa junto .

Agradeço imensamente por sua participação aqui, te desejo muitas encomendas e muita inspiração para continuar enchendo o Mundo de Fofuras.

A seguir fotos do trabalho dela e contato para quem se interessar.

E- mail: aninhacavallari@gmail.com







© De tudo Fica um Pouco - 2015. Todos os direitos reservados.
Layout por: MPC Criação.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo